Redação - Suacidadeonline

Redação - Suacidadeonline

As exportações brasileiras de milho por Paranaguá (PR) devem subir acentuadamente em abril e maio, quando os embarques de soja costumam prevalecer no segundo maior porto do país, disse um exportador à Reuters nesta segunda-feira

Os exportadores de milho fecharam acordos para embarcar pelo menos 800 mil toneladas durante esses dois meses, em comparação com nada em 2018, de acordo com o exportador e dados compilados pela Associação Nacional dos Exportadores de Cereais (Anec).

"Tais volumes de exportação de milho nesta época do ano são atípicos", disse Frederico Humberg, fundador da trading de commodities AgriBrasil.

Os fatores que impulsionam os embarques incluem a concorrência das exportações de soja dos Estados Unidos, que prejudicaram a demanda pela oleaginosas brasileira e abriram caminho para as exportações de milho, disse Humberg.

De acordo com a Anec, o Brasil exportou 3,4 milhões de toneladas de soja de Paranaguá em abril-maio ??de 2018, em comparação com nenhuma remessa de milho no período.

Humberg disse que outro fator que impulsiona as exportações de milho é a necessidade de liberar espaço de armazenamento para acomodar a segunda safra de milho, a ser colhida em meados do ano.

Depois de falar com os operadores portuários de Paranaguá na semana passada, Humberg disse estimar que as exportações de milho devem chegar a até 1 milhão de toneladas em abril-maio, já que novos compromissos de embarque estão prontos para serem feitos.

Se confirmados, os volumes de exportação de milho de Paranaguá em dois meses corresponderiam ao total do ano passado daquele porto, segundo dados da Anec. A empresa de Humberg enviará 120 mil toneladas em dois navios em abril e maio.

A situação ilustra como a disputa comercial que coloca os Estados Unidos contra a China está afetando os fluxos de comércio, já que a maior parte das exportações brasileiras de milho é normalmente despachada no segundo semestre do ano.

Cerca de 558.300 toneladas de soja serão embarcadas de Paranaguá até o dia 10 de abril, segundo dados da agência de navegação Williams. Não há dados disponíveis para maio.

Em 2018, os dados da Williams mostram que as exportações de soja por Paranaguá somaram 1,96 milhão de toneladas em abril e de 1,34 milhão de toneladas em maio.

"No ano passado, o Brasil estava praticamente sozinho no mercado de exportação de soja", disse o diretor-geral da Anec, Sérgio Mendes, à Reuters por telefone.

O governo prevê que as exportações de milho do Brasil aumentem em 25,5 por cento, para 31 milhões de toneladas nesta temporada.

Depois de uma seca em 2018, que prejudicou a safra de inverno do Brasil, a produção do chamado milho safrinha crescerá 23 por cento este ano, para 66,22 milhões de toneladas.

Fonte: Reuters

Comercializado a R$ 21,20 em 2010, o preço médio mensal de 1 Mbps no mercado de banda larga fixa brasileiro despencou 83,4% até 2018, fechando o ano passado com custo de R$ 3,50. As informações estão no Relatório de Acompanhamento do serviço elaborado pela assessoria técnica da Anatel e divulgado nesta segunda-feira, 25. Frente o valor médio cobrado em 2017, o indicador registrou alta de R$ 0,10, ou 2,9%.

No caso da Vivo, a diminuição do preço desde 2010 atingiu 92% ao passar de R$ 41,60 reportados pela agência para R$ 3,30 atuais – vale ressaltar que a empresa incorporou a GVT em 2015. Percentual semelhante foi verificado na Oi, na qual o custo médio mensal por Mbps caiu de R$ 34,50 para R$ 2,90 (queda de 91,5%). Já na comparação de 2018 com 2017, a Oi diminuiu seu preço em 6,4%, frente alta de 10% no valor médio do Mbps dos planos da Vivo. Para o cálculo, o mês de dezembro da cada ano foi usado como referência.

variacao-preco-mbps

 (Teletime/Reprodução)

Líder do mercado de banda larga fixa, o grupo América Móvil (ou Claro/Net na terminologia usada pela Anatel) surge como player que cobrou o menor valor médio em 2018: R$ 2,70 por Mbps, em queda de 10% frente 2017. Na comparação com o preço de 2010 (R$ 8,20, ou bem menor que a concorrência da época), houve queda de 67%.

No caso da TIM, a série histórica começa em 2014 e se assemelha com os números atuais: os R$ 3 da época subiram para R$ 3,10 no ano passado após atingirem R$2,30 em 2017. Já a Sercomtel derrubou seus preços em 67,4%: de R$ 16,90 em 2010 para R$ 5,50 atuais, ou o valor mais alto verificado pelo estudo da Anatel mesmo após uma redução frente 2017 (quando o Mbps médio mensal custou R$ 5,9). A agência lembra que não regula os preços do mercado de banda larga fixa, ao contrário do que ocorre na telefonia móvel.

Fonte.: Exame / Por Henrique Julião, do Teletime

Banda Larga (sxc.hu/Reprodução)

 

O Brasil caiu da 26ª posição para o 27º lugar entre os maiores exportadores do mundo, em 2018, segundo relatório anual divulgado hoje (2) pela Organização Mundial do Comércio (OMC). Entretanto, houve aumento de 10% nas vendas em comparação a 2017.

No ano passado, as exportações chegaram a US$ 239,5 bilhões, com aumento de 9,6%. As importações cresceram 19,7% ao totalizarem US$ 181,2 bilhões. O saldo da balança comercial em 2018 ficou em US$ 58,3 bilhões.

O 26º lugar foi assumido pelo Vietnã. O primeiro lugar no ranking é da China, seguida por Estados Unidos e Alemanha. O último lugar é da Indonésia, em 30º lugar.

Comércio mundial

Segundo dados preliminares da OMC, o comércio mundial cresceu 3%, em 2018, abaixo do previsto em setembro pela organização (3,9%). O resultado menor que o esperado é explicado principalmente por piora no comércio mundial, no quarto trimestre.

 

Para 2019, a previsão é crescimento de 2,6% no comércio mundial, em linha com a previsão de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB), soma de todos os bens e serviços produzidos no país, de 2,6%. Em 2020, o comércio mundial deve atingir crescimento de 3%, com previsão para o PIB em 2,6%.

 

Fonte. Exame - Agência Brasil

 

 

Exatos três meses após a posse de Jair Bolsonaro, nesta segunda-feira, primeiro de abril, a semana começa com o presidente em viagem a Israel. Em Brasília, após longos dias de trocas de farpas entre Bolsonaro e o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), a tramitação da nova Previdência parece começar a entrar nos eixos. Cansado de esperar por uma maior proximidade e articulação política por parte do presidente para com a reforma, Maia terá um novo interlocutor, o poderoso ministro da Economia, Paulo Guedes.

Na última quinta-feira, em um encontro que parece ter marcado o fim das mais recentes tensões, o presidente da Câmara conversou com o ministro da economia e definiu que, a partir de agora, eles é quem tocarão a reforma, que já tramita na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado. O acordo veio após apelos de empresários e lideranças políticas preocupadas com a queda brusca na bolsa e com as reduções na previsão de crescimento do PIB,  provocado pelos bate-bocas públicos entre os presidentes da República e da Câmara.

Maia explicitou que o objetivo, agora, é colocar a reforma da previdência “nos trilhos” e recuperar o tempo perdido. Em contrapartida, Guedes vai ampliar sua participação na articulação política e passará a receber grupos de 15 parlamentares para discutir a aprovação da reforma e ouvir as demandas dos deputados, segundo informou o jornal O Estado de S. Paulo, numa mistura de papeis que tem preocupado articuladores experientes do Congresso. 

Afastado de sua principal meta para o início de governo, em Israel, Bolsonaro aproxima as relações diplomáticas com o primeiro-ministro do país, Benjamin Netanyahu. Ontem, anunciou a instalação de um escritório comercial brasileiro em Jerusalém, rompendo, de forma inédita, com a neutralidade do Brasil sobre os conflitos entre Israel e Palestina. Hoje, vai com Netanyahu ao Muro das Lamentações. A visita é tida por analistas políticos de Israel como uma jogada de marketing de Netanyahu, que vai às urnas no dia 9 de abril. Flávio  Bolsonaro afirma que o curioso timing da visita é uma “coincidência”. 

 

Fonte.

Por Redação EXAME

A Prefeitura de Ponta Grossa, por meio da Secretaria Municipal de Educação, inaugurou nesta terça (02) mais uma obra de infraestrutura para o ensino. A Escola Municipal Professor Kamal Tebcherani, no Jardim Esplanada, recebeu investimentos de R$ 1.074.811,66 para sua ampliação e reforma. Foi a 73ª inauguração de obras na Educação, desde 2013.
 
Com a ampliação da sua infraestrutura, a escola passou a atender todos os alunos em período integral. São 264 alunos do 1º ao 5º ano, que dispõem de seis horas diárias de estudo em todas as áreas de conhecimento, além de tempo de descanso, três refeições diárias e atividades lúdicas realizadas todos os dias.
 
Em seu nome, a escola homenageia Kamal Tebcherani, primeiro professor do Departamento de Química da UEPG a obter o título de mestrado, obtendo seu título no instituto de química da Universidade de Campinas, além de ter sido professor no Colégio Regente Feijó. “Não há maior homenagem para uma pessoa do que ter seu nome em uma escola, assim como não há obra mais importante, para um prefeito, do que as obras realizadas na Educação”, comentou o prefeito Marcelo Rangel. Ele também lembrou outras obras da Prefeitura para o bairro. “Aqui, na quadra ao lado, construímos e já inauguramos um CMEI. Ao lado, um Superposto de Saúde, além do campo de futebol Society. E, neste momento, também estamos pavimentando várias ruas. É um grande investimento para o bairro”, lembrou Marcelo.
 
Tatiana de Fátima Santana, mãe de Fabiana, disse que a filha está em plena evolução, frequentando a escola. “Mudou bastante coisa, para a escola e para ela. Ela está indo bem nos estudos, agora no integral. Melhora o ensino e para a família, que ela aprenda bastante. Na alimentação, em casa antes ela não comia, agora aprendeu a se alimentar. A gente vê que ela está se colocando mais, está indo para frente”, narra a mãe.
 
Nova Infraestrutura
 
A Escola possui área construída de 1.936 m2. São dez salas de aula, biblioteca, duas quadras cobertas, pátio, banheiros comuns e adaptados, saguão, louçário, sala dos professores, sala para coordenação pedagógica, sala da diretoria, lavanderia, cozinha, refeitório.

Publicado por imprensa . Prefeitura Municipal de Ponta Grossa

Rodrigo K.
Fotos: Vanderson Padilha

O Operário Ferroviário empatou sem gols com o Foz do Iguaçu, na tarde deste domingo (31), no Estádio do ABC, pela última rodada da primeira fase da Taça Dirceu Krüger, do Campeonato Paranaense.

Com o empate, o alvinegro encerrou o segundo turno com oito pontos e não se classificou para a semifinal. Na classificação geral da competição, somando a primeira fase das duas taças, o Operário terminou em quarto, com 17 pontos.

O Fantasma criou chances e buscou o gol durante toda a partida, mas não conseguiu balançar as redes. Nas oportunidades criadas pelo adversário, a defesa alvinegra tirou o perigo.

O Operário iniciou o jogo com Simão, Léo, Alisson, Sosa, Allan Vieira, Chicão, Índio, Jean Carlo, Cleyton, Eduardo e Bruno Batata. No segundo tempo, entraram Robinho, Lucas Batatinha e Dione para saída de Léo, Eduardo e Cleyton.

Em entrevista coletiva, o técnico Gerson Gusmão falou sobre a partida. “A gente jogou para vencer o jogo. Criamos situações e pecamos na finalização, mas lutamos até o final. Agora temos que avaliar o que aconteceu na competição. Claro que quando o resultado é ruim e a eliminação vem, é sempre complicado, mas faz parte do futebol. A gente pede desculpas ao nosso torcedor, não é isso que queríamos proporcionar a ele. Queríamos uma sequência, novas vitórias, quem sabe mais um título, mas infelizmente não foi possível”.

O alvinegro volta a campo em partida oficial no dia 26 ou 27 de abril pelo Campeonato Brasileiro da Série B. O alvinegro recebe o América-MG no Estádio Germano Krüger.

Assessoria de Imprensa – Bianca Machado
Foto: Arquivo/José Tramontin/OFEC

O cardiologista Dante Senra, do Hospitais Sírio-Libanês, explica qual o papel do colesterol no corpo, o que leva ao seu aumento e como controlá-lo

"Fazer atividade física é a única forma realmente eficaz de elevar os níveis de HDL, o colesterol bom, que faz uma verdadeira faxina nos vasos sanguíneos, retirando os excessos de gordura no sangue, abaixando os níveis de LDL, o colesterol ruim", explica o cardiologista Dante Senra, do Hospitais Sírio-Libanês. Segundo ele, o ideal é que se caminhe 150 minutos por semana, parâmetro da OMS para deixar de ser sedentário. Isso equivale a 30 minutos por dia

Cerca de 360 mil brasileiros com colesterol alto não sabem que têm, segundo estimativa do Instituto do Coração (InCor) do HC de São Paulo. O colesterol alto pode levar ao infarto e ao AVC (acidente vascular cerebral). Quem desconhece que tem o problema apresenta 30% mais risco de ser pego de surpresa por um infarto, inclusive antes dos 40 anos, segundo o cardiologista 

O colesterol tem um papel importante no organismo. Forma a parede das células, é matéria-prima para hormônios sexuais, participa da formação da vitamina D, faz parte da capa dos neurônios e colabora na digestão, segundo o cardiologista

Existe o colesterol “bom” e o “ruim”. O LDL, sigla de lipoproteínas de baixa densidade, é o “ruim”. Ele carrega o colesterol do fígado para o resto do corpo, mas costuma deixar parte dessa carga nos vasos sanguíneos, favorecendo a formação das placas. Já o HDL, lipoproteínas de alta densidade, o “bom”, faz o trabalho contrário, recolhendo a gordura acumulada nas artérias

Quem tem colesterol alto deve cortar frituras, mas o queijo e o ovo não precisam sair da dieta, segundo o médico. Os alimentos que apresentam muito colesterol e devem ser evitados são o queijo amarelo, a carne vermelha, frituras, alimentos processados, alimentos de microondas, pizza, alimentos com coberturas e bolachas recheadas

Já para abaixar o colesterol são recomendadas as carnes brancas, peixes de água fria e profunda, como arenque, sardinha, salmão e atum, aveia, pães integrais, farinha de linhaça, alguns temperos como alho, cebola e azeite, arroz e feijão em pouca quantidade, chocolate (quanto mais amargo melhor) e as oleaginosas, que ajudam a retirar as moléculas de colesterol, mas devem ser consumidas com moderação

Fatores genéticos também podem levar a um colesterol alto, além do sobrepeso. Por essa razão, mesmo quem não está acima do peso deve fazer exames para avaliar os níveis de colesterol no sangue, ressalta o cardiologista

Cerca de 70% do colesterol é fabricado pelo corpo e não adquirido por meio da alimentação. Como exerce papel fundamental no organismo, é gerado pelo próprio corpo para garantir seu estoque. Por essa razão, mesmo ao seguir uma dieta rigorosa, só será possível reduzir de 20 a 25% do seu nível, de acordo com Senra

O colesterol alto pode levar ao aparecimento de bolinhas de gordura na pele. O médico explica que se trata de uma afecção que acomete a pele por uma alteração dos lipídios do sangue ou de alterações locais do metabolismo da gordura. Podem surgir na pálpebra, cotovelo, articulações, tendões, joelhos, mãos, pés e nádegas  

O cardiologista explica que o tabagismo é mais perigoso para quem tem colesterol alto. O cigarro favorece a formação de placas nos vasos sanguíneos e, se houver excesso de gordura correndo pelo sangue, o risco de um entupimento se torna ainda maior 

Crianças podem ter colesterol alto. “Muitas vezes esse quadro tem início na infância”, afirma o cardiologista. Segundo ele, é importante dosar os níveis desde cedo, especialmente se houver uma questão genética

Para evitar os problemas causados pelo mau colesterol, o açúcar também deve ser consumido com moderação. “Indiretamente essa substância também leva o organismo a formar mais placas perigosas nos vasos sanguíneos”, afirma o cardiologista  

Foto: Pixabay

Fonte. Deborah Giannini, do R7

Na média de estimativas de 12 consultorias e entidades do mercado, o Brasil, maior exportador global de soja, produzirá no ciclo vigente 114,24 milhões de toneladas da oleaginosa, volume 4,2 por cento menor na comparação com o recorde de 2017/18

A colheita da safra de soja 2018/19 do Brasil se encaminha para o fim com o mercado consolidando suas projeções em torno de 114 milhões de toneladas, já que a regularização climática a partir de fevereiro ajudou a estancar as fortes perdas observadas na virada de ano, mostrou uma pesquisa da Reuters nesta quarta-feira.

Na média de estimativas de 12 consultorias e entidades do mercado, o Brasil, maior exportador global de soja, produzirá no ciclo vigente 114,24 milhões de toneladas da oleaginosa, volume 4,2 por cento menor na comparação com o recorde de 2017/18.

Trata-se ainda de um ligeiro corte ante os 114,59 milhões de toneladas apontados no levantamento de fevereiro.

Caso se confirme, a quantidade seria a segunda maior da história, superando por pouco os 114,1 milhões de toneladas de 2016/17.

“Com a colheita de soja já bastante avançada, sobretudo nas maiores praças produtoras, como Mato Grosso, estimamos que boa parte das perdas de produtividade da safra 2018/19 já foram contabilizadas”, afirmou Daniely Santos, analista da Céleres.

Esperava-se, inicialmente, que o Brasil produzisse mais de 120 milhões de toneladas de soja na atual temporada, graças a um plantio histórico de 36 milhões de hectares regado a boas condições climáticas. Mas uma estiagem marcada por altas temperaturas entre dezembro e janeiro jogou por terra esse prognóstico.

As precipitações voltaram à normalidade a partir de fevereiro, evitando mais perdas de produtividade, mas não compensando os problemas anteriores. O resultado é uma safra marcada por expressiva desuniformidade no que tange ao rendimento da soja.

“Mato Grosso do Sul e Paraná têm perdas de produtividade próximas de 15 por cento, na média, em relação ao último ciclo. No Matopiba (Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia), observou-se um cenário de produtividade 13 por cento abaixo do ano passado, mas, ainda assim, 9 por cento acima da média dos últimos cinco anos. Em termos gerais, Mato Grosso teve produção muito próxima da do ano passado e o Rio Grande do Sul tem perspectivas acima do último ano”, afirmou o analista Victor Ikeda, do Rabobank.

Mais de dois terços da área plantada com soja no Brasil em 2018/19 já foram colhidos, segundo a consultoria AgRural.

Há ainda trabalhos de campo principalmente no Rio Grande do Sul e no Matopiba, regiões que plantam mais tarde, bem como no Paraná, que viu as atividades perderem ritmo nas últimas semanas por causa da chuvarada.

De acordo com previsão do Agriculture Weather Dashboard, do Refinitiv Eikon, as chuvas ficarão dentro ou abaixo da média em praticamente todo o centro-sul até meados de abril. No Matopiba, porém, deve chover até mais de 200 milímetros acima do normal, potencialmente atrapalhando a colheita de soja.

Fonte: Reuters

Sábado, 30 Março 2019 03:07

Parque Estadual de Vila Velha

Um dos mais belos e estruturados parques estaduais do Paraná - o de Vila Velha - é o cartão-postal de Ponta Grossa. Formada por cavernas, grutas e lagoas, a reserva fica a 24 quilômetros do Centro da cidade e guarda, ainda, esculturas naturais de arenito moldadas ao longo de milhares de anos. A mais famosa das figuras, a que remete a uma taça, é o símbolo do parque. 

Para facilitar o passeio e a apreciação das formações rochosas, uma passarela de 2.600 metros percorre os arenitos, enquanto monitores prestam informações em dois pontos da caminhada. Também as cavernas com lagos de lençol freático fazem arte das atrações de Vila velha. 

 Três grutas são abertas para visitas e, na mais imponente, um elevador desativado funciona como um mirante para a garganta contornada por um paredão de 53 metros de profundidade. Já na Lagoa Dourada, que também é uma caverna, as escarpas são mais baixas, porém, o espelho-d'água é muito maior, com 320 metros de diâmetro.

mais...

Fonte. Parque Estadual de Vila Velha.

Sábado, 30 Março 2019 01:42

Ponta Grossa-PR

 Localizada no Segundo Planalto Paranaense, na região dos Campos Gerais, Ponta Grossa destaca-se no cenário turístico do sul do Brasil, devido à sua posição geográfica pela facilidade de acesso a todas as regiões do Estado.
Importante entrocamento rodo-ferroviário, a cidade tem suas raízes no tropeirismo, na pluralidade étnica e nos caminhos da estrada de ferro, símbolos históricos e marcos referenciais ainda presentes no cenário urbano de uma das mais importantes cidades brasileiras.


     Integrante da Rota dos Tropeiros, Ponta Grossa congrega um complexo de atrativos naturais, históricos e culturais que se revelam em meio à paisagem ondulada dos Campos Gerais e proporcionam a seus visitantes oportunidades múltiplas de lazer, cultura e turismo. O contraste do antigo com o moderno, a imensidão e a beleza de sua natureza e as manifestações culturais são fatores decisivos no reconhecimento da cidade como pólo turístico e cultural do Brasil.


     Além da qualidade de sua rede hoteleira e gastronômica, Ponta Grossa oferece ainda uma noite agradável com aspectos variados que garantem diversão a todos os gostos.


     Seja bem- vindo a Ponta Grossa, pouso seguro e hospitaleiro. mais...

 

Fonte. Fundação Municipal de Turismo

Página 1 de 2


© 2018 Portal de Notícias e Guia Comercial



Todos os direitos reservados.

 

Desenvolvido por Interativo Negócios